6. Teus amigos apoiam-te

“Teus amigos apoiam-te e tornarão a saudar-te com coração caloroso e com mãos amistosas” (D&C 121:9).

Buscar o apoio de outros

Além de confiar no Senhor, buscar o apoio de outras pessoas pode ser útil ao nos depararmos com as escolhas de nossos entes queridos. Não precisamos sofrer sozinhos. O presidente Henry B. Eyring disse: “Todos seremos provados. E todos precisamos de amigos verdadeiros que nos amem, que nos escutem, que nos mostrem o caminho e que testifiquem da verdade para nós, para que possamos reter a companhia do Espírito Santo” (“Verdadeiros amigos”, A Liahona, julho de 2002, p. 29). Pode ser uma experiência desconfortável e vulnerável compartilhar nossas dificuldades com outras pessoas. Muitos de nós nos sentimos temerosos e envergonhados em relação às escolhas de nossos entes queridos e não queremos que outros saibam sobre o problema. Podemos ficar preocupados que as pessoas nos julguem ou condenem nossos entes queridos. Nossos entes queridos que estão lutando talvez peçam que não contemos a ninguém, nem aos líderes eclesiásticos. Contudo, é aceitável e importante pedir a ajuda que desejamos ou que necessitamos.

O Senhor nos guiará ao apoio que precisarmos. Ele prometeu: “Eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo: Não temas, eu te ajudo” (Isaías 41:13). Ele prometeu que nos “conduzirá pela mão e dará resposta às [nossas] orações” (D&C 112:10). O presidente Spencer W. Kimball falou o seguinte sobre a frequência com que Deus responde nossas orações: “Deus está atento a nós e preocupa-Se conosco. Contudo, é por meio de outras pessoas que Ele costuma atender a nossas necessidades” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer W. Kimball, 2006, p. 92). Deus colocou e colocará pessoas em nossa vida para nos ajudar e nos apoiar em nossas provações.

  • De que apoio ou auxílio você sente que necessita?

  • Como você vai buscar o apoio de outras pessoas?

Buscar o apoio correto

Nem sempre temos uma experiência positiva ao buscar o apoio de outras pessoas. Embora uma pessoa possa nos amar, ela pode estar mal-informada, mal-orientada ou incapaz de ajudar. Contudo, uma experiência ruim não deve nos impedir de encontrar o apoio de que necessitamos. É importante ponderar sobre quais recursos ou pessoas são fontes de ajuda adequadas, quando e como compartilhar nossas dificuldades pessoais com outros e como usar de sabedoria para decidir o que é seguro compartilhar. Algumas perguntas a se ponderar incluem: Será que a pessoa com quem estou compartilhando vai ser capaz de me dar apoio? Será que ela realmente quer o que é melhor para mim e para meus entes queridos também? Será que ela vai manter sigilo em relação às informações e não me julgar? Será que ela tem maturidade suficiente e está preparada para ouvir as informações ou isso será prejudicial a ela?

  • Que obstáculos o impedem de buscar apoio?

  • Quem você se sentiu inspirado a procurar para pedir apoio?

Identificar fontes de apoio

Considere as seguintes pessoas ao buscar consolo e apoio.

Família

Nossa família tem o potencial de oferecer uma imensa fonte de amor e apoio. Um dos motivos pelos quais o Senhor nos deu uma família é para que ouçam e estejam a nosso dispor quando não parece haver alguém mais para nos ajudar. Familiares de confiança podem oferecer o apoio e a força de que necessitamos para continuarmos a enfrentar nossos desafios com determinação.

Amigos

Os amigos verdadeiros ficam ao nosso lado nos momentos difíceis. Eles escutam nossos problemas e experiências com compreensão e amor. Dão ideias e sugestões que talvez não nos tenham ocorrido. Os amigos verdadeiros nos dizem a verdade, mesmo quando é dura, respeitam nosso arbítrio e não nos dizem como devemos viver nossa vida.

Líderes do sacerdócio e da Sociedade de Socorro

Nossos líderes do sacerdócio e da Sociedade de Socorro são chamados por revelação e imposição de mãos por aqueles que têm autoridade (ver Regras de Fé 1:5). Como representantes do Senhor, eles podem usar “seu tempo, suas aptidões, seus talentos, [oferecer] apoio espiritual e emocional e orações de fé para ajudar as pessoas” (Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 9.6.2). Nosso amoroso Pai Celestial concede orientação e direção a nossos líderes em nosso benefício. O bispo, em particular, tem as chaves do sacerdócio e o poder de Deus para nos abençoar. No entanto, ao falar com os líderes da Igreja, tenha em mente que, como os líderes têm diferentes níveis de conhecimento, pode ser necessário ajudá-los a compreender as coisas pelas quais estamos passando.

Mentores

Aqueles que passaram por experiências pessoais com entes queridos que fizeram más escolhas podem oferecer valiosa ajuda e orientação. Apesar de que nem tudo o que funcionou para eles funcionará para nós, podemos aprender com a experiência deles. A visão e a compreensão deles podem nos ajudar a encontrar maior cura e paz.

Grupos de apoio

As reuniões dos grupos de apoio ao cônjuge e à família são gratuitas e proporcionam ambientes confidenciais onde as pessoas se reúnem para compartilhar a fé e a esperança delas. É uma grande bênção ter um lugar seguro para compartilhar aberta e sinceramente nossos sentimentos com outros que nos compreendem ou que estão passando por desafios semelhantes. Se não houver grupos de apoio da Igreja disponíveis, pode haver outros grupos de apoio adequados na comunidade dos quais podemos participar e que oferecem ajuda condizente com os princípios do evangelho.

Auxílio profissional

Muitos de nós enfrentamos problemas emocionais importantes ao procurarmos encontrar paz e cura. Se houver tratamento disponível, um terapeuta compassivo que apoie os princípios do evangelho pode nos ajudar a enfrentar quaisquer problemas não solucionados e a vê-los com um novo nível de coragem ou perspectiva. Nem todos necessitam de terapia, mas é uma opção útil a ser levada em consideração ao nos esforçarmos para encontrar paz e cura por meio do Salvador. O bispo e outros líderes da Igreja têm acesso a recursos que podem ser úteis para encontrar auxílio profissional.

  • Que tipos de apoio fizeram uma grande diferença para você?

  • Que tipo de apoio faria uma grande diferença em sua vida neste momento?

  • Como você pode ser um apoio para outros que estão passando por dificuldades semelhantes?

Estudo do evangelho

Ao estudar os recursos listados abaixo, considere em espírito de oração como você pode aplicar os princípios que eles ensinam. 

1 Samuel 20:16–17 (Nossos amigos podem nos apoiar e nos amar.)

Mosias 24:13–15 (Deus vai nos apoiar em nossas aflições.)

Doutrina e Convênios 81:5 (O Senhor pede a outros que nos ajudem.)

Doutrina e Convênios 121:9 (Os amigos oferecem apoio e incentivo.)

Henry B. Eyring, “Verdadeiros amigos”, A Liahona, julho de 2002, p. 29.

James E. Faust, “Purificados por nossas provações”, A Liahona, fevereiro de 2006, p. 3.

Ronald A. Rasband, “Lições especiais”, A Liahona, maio de 2012, p. 80.

Receber e oferecer ajuda durante a recuperação”, OvercomingPornography.org.

Aprendizado pessoal e aplicação

As atividades a seguir servem para melhorar seu aprendizado e a aplicação desses princípios. Mantenha um diário de seus pensamentos, sentimentos, ideias e planos para aplicar o que aprendeu. À medida que as necessidades e circunstâncias de sua vida mudarem, a repetição dessas atividades vai lhe proporcionar novas ideias.

  • Estude e pondere sobre as escrituras listadas nesse esboço. O que você aprendeu? Quem você tem por perto que pode apoiá-lo e ajudá-lo? Que apoio você precisa deles?

  • Estude e pondere sobre a seguinte declaração do presidente James E. Faust: “Podemos pedir ajuda a outras pessoas. A quem recorrer? O élder Orson F. Whitney (1855–1931), do Quórum dos Doze Apóstolos, fez essa mesma pergunta e deu a resposta: ‘A quem recorrer nos momentos de pesar e calamidades para encontrar ajuda e consolo? (…) Eles são homens e mulheres que sofreram e, de sua experiência com o sofrimento, tiram o tesouro da solidariedade e compaixão que são uma bênção para quem delas necessita no momento. Será que isso seria possível se eles mesmos não tivessem sofrido?’” (“Purificados por nossas provações”, A Liahona, fevereiro de 2006, p. 5). De que maneiras alguém que passou por uma situação semelhante à sua pode ajudá-lo? Quem você conhece que passou por uma situação semelhante e a quem você poderia recorrer? Pense na possibilidade de pedir aos líderes locais, como seu bispo, líder do quórum ou presidente da Sociedade de Socorro, que o encaminhem a alguém que superou problemas semelhantes.

  • Estude e pondere sobre o discurso do presidente Henry B. Eyring “Verdadeiros amigos” e o do élder Ronald A. Rasband “Lições especiais”. Que princípios você aprendeu? Como o apoio de outros podem ajudá-lo? Que fontes de apoio estão disponíveis para você? O que você se sente inspirado a fazer?

  • Reflita sobre os princípios encontrados nestes hinos: “Sim, eu te seguirei” (Hinos, nº 134); “Eu devo partilhar” (Hinos, nº 135); “Amai-vos uns aos outros” (Hinos, nº 197).

Guia de Apoio: Ajuda para Cônjuges e Familiares de Pessoas em Recuperação

Cônjuges e Famílias

Selecione uma Seção
Introdução
1234
5678
9101112