7. Em tudo dai graças

“Em verdade vos digo, meus amigos: Não temais; que se console vosso coração; sim, regozijai-vos sempre e em tudo dai graças” (D&C 98:1).

Vencer o desânimo, o medo e a raiva

A vida nem sempre é o que esperamos. Às vezes, é fácil nos sentirmos sobrecarregados pelo desânimo, pelo medo e pela raiva. Satanás usa tais sentimentos como uma oportunidade para nos atacar e nos levar à autocrítica e a encontrar falhas nas outras pessoas. Quanto mais nos concentramos em emoções negativas, mais fortes elas se tornam, até que começam a dominar nossos pensamentos, diminuir nossa capacidade de sentir o Espírito e de encontrar felicidade. O provérbio “Como [o homem] imagina no seu coração, assim ele é” (Provérbios 23:7) aplica-se tanto aos pensamentos negativos quanto aos positivos. Uma maneira de nos opormos às emoções negativas é ponderar e expressar gratidão pelos muitos meios pelos quais somos abençoados.

  • Como podemos reconhecer nossas dificuldades sem nos tornarmos consumidos por elas?

Reconhecer a mão de Deus em nossa vida

Em meio às aflições, pode ser difícil enxergar o bem à nossa volta quando nos sentimos sobrecarregados com tanta dor e tristeza. No entanto, temos muitos motivos para sermos gratos. Para aqueles que têm dificuldade de ver a mão de Deus na vida por causa de seus desafios, o presidente Henry B. Eyring deu este conselho: “A chave (…) é receber a companhia do Espírito Santo. É o Espírito Santo que nos ajuda a ver o que Deus já fez por nós. É o Espírito Santo que pode [nos] ajudar a ver o que Deus já fez. (…) Esta noite e amanhã à noite, ao orar e ponderar, sugiro que façam a pergunta: Deus mandou uma mensagem específica para mim? Vi Sua mão agir em minha vida e na vida dos meus filhos? Eu vou fazer isso. E então, preservarei essa lembrança para o dia em que eu e meus entes queridos precisarmos recordar o quanto Deus nos ama e o quanto necessitamos Dele” (“Oh! Lembrai-vos, lembrai-vos”, A Liahona, novembro de 2007, p. 66).

Há muitas ternas misericórdias que enriquecem nossa vida e nos permitem saber que temos um Pai Celestial que nos ama e que nos conhece de uma maneira muito pessoal. Ao reservarmos um tempo todos os dias para ponderar e registrar as coisas pelas quais somos gratos, a evidência da mão de Deus em nossa vida se torna mais clara. Apreciamos mais plenamente as muitas bênçãos que recebemos no passado. Também ficamos atentos, reconhecemos e nos regozijamos nas bênçãos que recebemos todos os dias. O élder Gerald N. Lund ensinou: “Às vezes (…) as bênçãos vêm de uma maneira incomum e em um momento tão preciso que elas cumprem algo, além de nos abençoar. Elas confirmam tão claramente a existência de Deus que nos animam nos momentos difíceis” (Divine Signatures: The Confirming Hand of God [Assinaturas divinas: A confirmação da mão de Deus], 2010, p. 28). Em nossa jornada de cura, a gratidão muda nosso coração e nos ajuda a sentir alegria por meio da bondade de Deus e do poder redentor de Jesus Cristo.

  • Como estar atento às suas bênçãos o ajudou a ver a mão de Deus em sua vida?

  • O que mais o ajuda a reconhecer a mão de Deus em sua vida?

Reconhecer nossos dons e talentos

Como filhos de Deus, fomos abençoados com muitos dons espirituais! “Pois há muitos dons e a cada homem é dado um dom pelo Espírito de Deus. A alguns é dado um, a outros é dado outro, para que desse modo todos sejam beneficiados” (D&C 46:11–12). É importante reconhecermos e sermos grato pelos dons com os quais cada um de nós foi abençoado. A busca para desenvolvermos nossos dons e talentos pode trazer satisfação, crescimento e uma mudança positiva em nossa vida. O presidente Dieter F. Uchtdorf ensinou: “Talvez você pense que não tem talento, mas essa é uma conclusão falsa, pois todos temos talentos e dons, cada um de nós” (“A felicidade é sua herança”, A Liahona, novembro de 2008, p. 119). Pode exigir tempo e esforço de nossa parte descobrir e desenvolver ainda mais os dons que recebemos, mas todos temos muito a contribuir por meio das habilidades que Deus nos deu.

  • Quais são alguns de seus dons e talentos? O que você pode fazer para desenvolver mais esses dons e talentos?

  • Como a bênção patriarcal o ajuda a identificar seus dons e talentos? 

Descobrir o que há de bom em nossos entes queridos

Além de reconhecermos e sermos gratos por nossos dons, é essencial que reconheçamos a divindade em outras pessoas, especialmente nos membros da nossa família. Nos relacionamentos, as coisas nas quais nos concentramos determinam grandemente como nos sentimos a respeito de uma pessoa. Pode ser difícil imaginar agora como nossos entes queridos seriam sem os pecados deles. Entretanto, uma parte importante do nosso próprio processo de cura é olhar além das escolhas erradas deles e ver quem eles realmente são: amados filhos e filhas de Deus. Apesar das situações difíceis que temos, podemos fazer a escolha de sermos gratos pelas boas qualidades e atos de nossos entes queridos. Se nos esforçarmos para ouvir e observar com a inspiração do Espírito Santo, podemos ver o potencial divino em todos, mesmo naqueles que nos magoaram. Nossos relacionamentos podem melhorar e nossos entes queridos podem ter maior esperança ao escolhermos reconhecer e ser gratos pela bondade que vemos nas outras pessoas. 

  • O que o ajuda a ver as qualidades de seu ente querido?

  • O que é diferente em seu relacionamento quando você procura as qualidades?

Expressar gratidão pelo Salvador e por Sua Expiação

Acima de tudo, somos gratos pelo Salvador e por Sua Expiação. Ele tem estado ao nosso lado, nos bons e nos maus momentos. Todas as coisas boas em nossa vida são bênçãos do Salvador. Nas palavras de Isaías: “Deus é a minha salvação; nele confiarei, e não temerei; porque o Senhor Deus é a minha força e o meu cântico, e ele foi a minha salvação” (Isaías 12:2). Ao ponderarmos sobre as muitas bênçãos que temos, nossa gratidão pode se tornar como a de Amon: “Mas eis que minha alegria é completa, sim, meu coração transborda de alegria e regozijar-me-ei em meu Deus. Sim, sei que nada sou; quanto a minha força, sou débil; portanto não me vangloriarei de mim mesmo, mas gloriar-me-ei em meu Deus, porque com sua força posso fazer todas as coisas; sim (…) [louvarei] o seu nome para sempre” (Alma 26:11–12). Nossa gratidão pelo Salvador nos inspira a ser um pouco melhores, a amar um pouco mais e a nos tornarmos mais semelhantes a Cristo.

  • Como você se sente a respeito do Salvador? Como a Expiação Dele o abençoa?

  • Como você pode mostrar sua gratidão a Ele?

Estudo do evangelho

Ao estudar os recursos listados abaixo, considere em espírito de oração como você pode aplicar os princípios que eles ensinam. 

Doutrina e Convênios 59:7, 21 (Somos ordenados a agradecer ao Senhor em todas as coisas.)

Doutrina e Convênios 78:19 (Somos abençoados ao receber todas as coisas com gratidão.)

Moisés 5:10–12 (Adão e Eva reagiram a seus desafios com gratidão.)

Henry B. Eyring, “Oh! Lembrai-vos, lembrai-vos”, A Liahona, novembro de 2007, p. 66.

Thomas S. Monson, “O divino dom da gratidão”, A Liahona, novembro de 2010, p. 87.

Bonnie D. Parkin, “Gratidão: Um caminho para a felicidade”, A Liahona, maio de 2007, p. 34.

Richard G. Scott, “Como viver bem em meio ao mal crescente”, A Liahona, maio de 2004, p. 100.

Dieter F. Uchtdorf, “Gratos em quaisquer circunstâncias”, A Liahona, maio de 2014, p. 70.

Vídeos: “Ação de graças diariamente”, “No Espírito de ação de graças”.

Aprendizado pessoal e aplicação

As atividades a seguir servem para melhorar seu aprendizado e a aplicação desses princípios. Mantenha um diário de seus pensamentos, sentimentos, ideias e planos para aplicar o que aprendeu. À medida que as necessidades e circunstâncias de sua vida mudarem, a repetição dessas atividades vai lhe proporcionar novas ideias.

  • Estude e pondere sobre o discurso do presidente Henry B. Eyring “Oh! Lembrai-vos, lembrai-vos”, e procure maneiras de reconhecer a mão de Deus em sua vida. Todos os dias, pondere sobre a pergunta: “Vi hoje a mão de Deus se estender sobre nós, sobre nossos filhos ou sobre nossa família?” e registre seus pensamentos.

  • Pense sobre um desafio ou uma adversidade pela qual você está passando atualmente. Estude e pondere sobre a gravura nº 5 Adão e Eva ensinam seus filhos, no Livro de Gravuras do Evangelho, 2009, e leia Moisés 5:10–12. O que o impressiona a respeito da reação deles à adversidade? O que podemos aprender com o exemplo deles?

  • Assista aos vídeos “Ação de graças diariamente” e “No Espírito de ação de graças”, e pense sobre o que eles ensinam a respeito da gratidão. Leia a seguinte declaração do presidente Thomas S. Monson: “É amável e honroso expressar gratidão. É generoso e nobre agir com gratidão; e quando vivemos sempre cheios de gratidão no coração, tocamos o céu” (“O divino dom da gratidão”, A Liahona, novembro de 2010, p. 90). Como você pode mostrar maior gratidão?

  • Por que é importante mostrar gratidão? Que bênçãos recebemos ao sentir e mostrar gratidão? Leia e pondere Doutrina e Convênios 78:19. Leia a história da “cesta de bênçãos” da irmã Bonnie D. Parkin em “Gratidão: Um caminho para a felicidade”, e anote as bênçãos pelas quais você é grato. Compartilhe essa experiência com um amigo ou um ente querido.

  • Leia e pondere sobre o discurso do élder Richard G. Scott “Como viver bem em meio ao mal crescente”, e procure os padrões que ele sugere para vivermos com mais esperança e procurarmos o lado bom em um mundo cheio de maldade. Como você pode usar o que aprendeu para ajudá-lo a apreciar mais plenamente o lado bom da vida?

  • Estude e pondere sobre sua bênção patriarcal e procure os dons e os talentos específicos que o Pai Celestial lhe deu. Se ainda não recebeu sua bênção patriarcal, você pode conversar com o bispo para se preparar para recebê-la.

  • Reflita sobre os princípios encontrados nestes hinos: “Conta as bênçãos” (Hinos, nº 57); “Vinde ó santos” (Hinos, nº 20); “Now Thank We All Our God” [Agradeçamos ao Senhor] (Hinos, nº 95 em inglês); “Savior, Redeemer of My Soul” [Salvador, Redentor de minha alma] (Hinos, nº 112 em inglês); “Eu devo partilhar” (Hinos, nº 135).

Guia de Apoio: Ajuda para Cônjuges e Familiares de Pessoas em Recuperação

Cônjuges e Famílias

Selecione uma Seção
Introdução
1234
5678
9101112