Guia de Apoio: Ajuda para Cônjuges e Familiares de Pessoas em Recuperação

Introdução

Guia de Apoio: Ajuda para Cônjuges e Familiares de Pessoas em Recuperação

Este guia fornece recursos e apoio para cônjuges e familiares de pessoas que mostram comportamentos compulsivos. O propósito desse guia é destacar os princípios e as doutrinas do evangelho que podem ajudar o cônjuge ou membro da família a encontrar paz e cura por meio do poder de Jesus Cristo e de Sua Expiação. Esse guia não inclui uma lista de passos determinantes para a cura de todas as pessoas; em vez disso, ele vai ajudá-lo a aprender e aplicar os princípios do evangelho. Você não precisa estudar os princípios em ordem sequencial, mas estude todos os princípios do guia, concentrando-se naqueles que lhe parecem mais importantes. Ao estudar, o Espírito pode direcioná-lo a aplicar esses princípios de maneiras que serão mais úteis e relevantes à sua situação. Durante o processo, você obterá um entendimento melhor dos princípios do evangelho, aprenderá ideias específicas que vão ajudá-lo e a também aos seus entes queridos e encontrará mais paz e cura.

Encontrar esperança

Se você tem um ente querido que está preso a comportamentos compulsivos, pode ser que se sinta desencorajado, magoado ou sem esperança. Talvez se preocupe com as consequências significativas que parecem ameaçar você e seu ente querido, ou simplesmente se preocupe e queira ajudar. Apesar das circunstâncias, “a Deus tudo é possível” (Mateus 19:26). O presidente Dieter F. Uchtdorf disse: “Pode haver alguns dentre vocês que sintam que as trevas os estão envolvendo. Pode ser que se sintam atormentados por preocupações, temores ou dúvidas. Para vocês e para todos nós, repito uma maravilhosa e segura verdade: a luz de Deus é real. Está ao alcance de todos! Dá vida a todas as coisas (ver Doutrina e Convênios 88:11–13). Tem o poder de amenizar a dor das feridas mais profundas. Pode ser um bálsamo de cura para a solidão e a enfermidade de nossa alma. Nos sulcos do desespero, ela pode plantar as sementes de uma esperança mais radiante. Pode iluminar os profundos vales do sofrimento. Pode iluminar o caminho a nossa frente e guiar-nos através da noite escura até a promessa de um novo alvorecer” (“A esperança da luz de Deus”, A Liahona, maio de 2013, p. 75).


 

Encontramos paz nos achegando ao Salvador

Com frequência, fazemos esforços desesperados quando procuramos ajudar as pessoas que amamos. No entanto, também precisamos da ajuda do Senhor e Ele nos chama a vir a Ele e ser curados (ver 3 Néfi 9:13). Nossa prioridade deve ser nos achegarmos pessoalmente ao Senhor. Precisamos colocar nossos fardos a Seus pés, confiar em Seu poder capacitador e esperar Nele com paciência. Ao agirmos assim, Ele nos socorrerá e sentiremos Sua luz e esperança em nossa vida. Estaremos em melhores condições para apoiar nossos entes queridos. Não importa o que eles escolham fazer, a paz e a esperança do Salvador podem estar conosco. O presidente Howard W. Hunter disse: “A paz só nos advirá depois de uma rendição incondicional — rendição Àquele Príncipe da Paz, que tem poder para conferir a paz. Pode-se viver em locais belos e aprazíveis, mas, se houver dissensão interna e discórdia, estar em um estado de tormento. Por outro lado, pode-se estar em meio à mais completa destruição e ao derramamento de sangue da guerra e ainda desfrutar da serenidade de uma paz indizível. Se olharmos para o homem e para a maneira do mundo, veremos tormento e confusão. Mas se tão somente nos voltarmos para Deus, encontraremos paz para a alma inquieta” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Howard W. Hunter, 2015, pp. 54–56). Nossa jornada para a cura e paz começa com voltar nosso coração e nossa vontade para o Salvador.

Confiar no Salvador

O evangelho nos ensina que somos responsáveis e temos que responder por nossas ações — não pelas ações de outros. Para nos curarmos completamente, devemos nos livrar de qualquer culpa desnecessária e responsabilizar nossos entes queridos pelas escolhas deles. É natural sentirmos que as más escolhas de nossos entes queridos é, de alguma forma, nossa culpa, mas tais sentimentos são incorretos. Talvez nos preocupemos com coisas que poderíamos ter feito melhor ou de forma diferente. Ou pensemos que poderíamos ter evitado que as más escolhas acontecessem. Mas a verdade é que não somos responsáveis pelas más escolhas de nossos entes queridos. Somos responsáveis somente por nossa reação às escolhas deles.

Uma parte essencial de nossa cura é aceitar e entender que nossos entes queridos são responsáveis por sua própria recuperação e cura. Com muita frequência e incorretamente achamos que temos de resolver os problemas para eles. Talvez tenhamos medo de que, a menos que tomemos o controle da situação, ela ficará pior. Nossos esforços podem ser úteis e até salvar vidas às vezes, mas são nossos entes queridos que devem se achegar ao Salvador, arrepender-se, purificarem-se e receberem a cura por meio Dele. Simplesmente não podemos fazer isso por eles e nossas tentativas de coagi-los ou controlar suas escolhas podem até impedir ou atrasar a recuperação deles. Quando compreendermos que não somos responsáveis e não podemos resolver as escolhas de nossos entes queridos, teremos dado um passo importante em nossa própria cura.

Fazer alegremente todas as coisas a nosso alcance

Quando os pioneiros estavam enfrentando desafios e perseguições, o profeta Joseph Smith os aconselhou: “Portanto, (…) façamos alegremente todas as coisas que estiverem a nosso alcance; e depois aguardemos, com extrema segurança, para ver a salvação de Deus e a revelação de seu braço” (D&C 123:17). Assim como aqueles pioneiros perseveraram, também podemos realizar muita coisa ao trabalhar com paciência para melhorar nossa situação e ajudar nossos entes queridos. Podemos buscar apoio de outras pessoas, frequentar reuniões de grupos de apoio, aprender sobre comportamentos compulsivos e estabelecer barreiras e limites para não concordar com as escolhas erradas das pessoas que amamos. Além disso, podemos aprender a confiar no Senhor, mesmo quando sentimos nosso coração partido. Ao fazermos nossa parte, o Senhor Se achegará a nós e fará mais por nossa situação e vida do que poderíamos fazer sozinhos.

Grinalda por cinza

Pode ser difícil acreditar que nossa dor, tristeza, preocupação e raiva possam ser curadas. O profeta Isaías disse: “O Senhor (…) enviou-me a (…) ordenar aos tristes de Sião que se lhes dê grinalda por cinza, óleo de alegria por tristeza, veste de louvor por espírito angustiado” (Isaías 61:1, 3). Ao nos aproximarmos do Senhor, a paz e o consolo que Ele nos oferece pode verdadeiramente fazer milagres. Talvez não nos sintamos gratos pela dor e aflição, mas podemos sentir alegria e gratidão ao nos familiarizarmos com o amor do Salvador e o poder de Sua Expiação em meio às dificuldades. O Salvador pode usar nossos desafios para purificar nosso coração (ver Mosias 4:2) e pode nos dar grinalda por cinza. Podemos seguir em frente com fé de que essa tribulação e todas as tribulações que tivermos na mortalidade “[nos] servirão de experiência, e serão para o [nosso] bem” (D&C 122:7).

Compreender como cada seção deste guia é organizada

Cada seção deste guia está organizada em subseções principais relacionadas a seguir.

Princípio-chave

Esta seção apresenta um princípio-chave do evangelho ou uma ideia e inclui perguntas para ajudar você a refletir sobre como aplicar melhor tal princípio ou ideia em sua vida.

Estudo do evangelho

Esta seção contém mais escrituras e discursos de líderes da Igreja para o estudo individual. As escrituras ensinam que as palavras de Cristo nos dirão todas as coisas que devemos fazer (ver 2 Néfi 32:3).

Aprendizado pessoal e aplicação

Esta seção contém atividades desenvolvidas para ajudá-lo a aprender e aplicar esses princípios. O objetivo é fornecer oportunidades para refletir e estudar os princípios do evangelho e como eles podem especificamente se aplicar a você. Ao estudar, mantenha um diário para registrar seus pensamentos, seus sentimentos e suas impressões. 

Entender como usar este guia

Este guia é usado nas reuniões de grupos de apoio à família e ao cônjuge e também pode ser usado para o estudo pessoal. Frequentar as reuniões de apoio vai ajudá-lo a ter mais paz e esperança. Visite o site arp.LDS.org para mais informações.

Guia de Apoio: Ajuda para Cônjuges e Familiares de Pessoas em Recuperação

Cônjuges e Famílias

Selecione uma Seção
Introdução
1234
5678
9101112