Perdido, Mas Agora Encontrado

A História de Diane


Cristo segurando uma ovelha em seus braços.

Meu filho foi dependente de drogas e álcool por 18 anos. Ele se mudava frequentemente, e em alguns momentos, chegou a morar em seu carro. Ele se isolou da família e não esteve presente nos feriados e nas datas importantes para a família. Senti uma dor no coração ao vê-lo assim. Tentei preparar-me para aquele telefonema que muitos pais recebem, pensando se teria que o enterrar antes de eu mesma partir. Continuei a orar por ele, apegando-me à esperança de que um dia ele retornaria para mim.

Até que um dia, meu filho me ligou. Ele precisava de um lugar para ficar. No dia seguinte, dois detetives estavam em minha casa procurando meu filho. Acreditei que essa era a oportunidade que ele teria para mudar, então disse a eles onde ele estava. A próxima ligação que recebi foi da penitenciária. Meu filho exigiu que eu o tirasse de lá porque ele não merecia estar lá. Eu apenas ouvia tudo, de coração partido.

Nos dez dias seguintes, sempre que me ligava, eu sofria com a ira dele. Ele me disse que eu nunca fiz nada por ele. Ele tentou de tudo para que eu pagasse sua fiança, mas eu sabia que as drogas o aguardavam fora da prisão. Eu expressava meu amor e escrevia para ele todos os dias. Enviei duas fotos de nossa família e disse o quanto todos o amavam e sentiam sua falta.

Nossa família jejuou por ele naquele domingo. Duas semanas mais tarde, ele ligou e eu estava pronta para ouvir palavras nocivas. Mas o que ouvi foi bem diferente.

Ele disse: “Recebi sua carta, mãe, e você está certa. Você sempre esteve ao meu lado. E onde estão os que dizem ser meus amigos? Neste momento, a única pessoa que está comigo é você”.

Ele me disse para não desistir dele e para continuar o que estava fazendo. Ele não estava satisfeito com o rumo da sua vida e queria mudar.

Meu filho saiu da cadeia uma semana depois. Ele conversou com os líderes da Igreja para começar o processo de recuperação da sua dependência e começou a ler o Livro de Mórmon com entusiasmo. E apenas seis semanas após o jejum em família, comecei a perceber o início de sua transformação. Contudo, a rota dele ainda não estava perfeita.

Meu filho se internou em um centro de reabilitação para receber ajuda complementar para as suas dependências. Continuei a apoiá-lo e sempre mandava cartas e discursos da conferência. Meu filho distribuiu os materiais que recebeu para outros pacientes e até recebeu o apelido de “pregador.” Ele começou a seguir os passos do guia do Programa de Recuperação de Dependências e teve facilidade, pois foi criado em uma família que o ensinara a orar. Ele foi um exemplo para os outros, fazendo visitas noturnas para motivar as pessoas a orar e buscar ajuda divina.

Enquanto isso, eu comecei a frequentar as reuniões de Apoio à Família do PRD. Fiquei chocada ao saber que tinha o problema de codependência. Eu sequer conhecia essa palavra e seu significado. Entretanto, essas reuniões me ensinaram que apesar de ter tentado resgatar e salvar meu filho por tanto tempo, eu não tinha controle sobre sua dependência. Ele precisava da ajuda do Pai Celestial.

Eu sabia que o Senhor queria livrar-me das preocupações que sentia por meu filho. Ele queria que eu confiasse Nele e que soubesse que Ele ama meu filho até mais do que eu o amo. O Senhor me ajudou a sentir a paz de saber que Ele estava cuidando do meu filho na reabilitação e que os milagres estavam acontecendo.

Meu filho tem ficado sóbrio por alguns meses. Ele saiu do centro de reabilitação e desde então tem ido à Igreja com sua filha. Os membros da ala têm demonstrado amor e oferecido apoio a ele. Para continuar com o seu processo de cura, ele frequenta as reuniões semanais do PRD. Tenho notado uma grande mudança nele. Ele tem um relacionamento com o Pai Celestial e possui grande fé. Ele ora regularmente e tem sentido as bênçãos da Expiação.

Por todos esses anos, meu filho sentiu que eu era a única pessoa em quem ele podia confiar e, sempre que posso, demonstro o meu amor por ele. Como mãe, é maravilhoso saber que ele agora confia no Pai Celestial e no Salvador, Jesus Cristo, para salvá-lo. Meu filho estava perdido e agora ele foi achado. Sou grata ao Senhor por essa grande dádiva e esse milagre.