9º Passo: Restituição e Reconciliação

PRINCÍPIO-CHAVE: Sempre que possível, fazer reparações diretas às pessoas que você prejudicou.

Ao passarmos para o 9° passo, estávamos prontos para pedir perdão. Como os arrependidos filhos de Mosias que seguiram “procurando zelosamente reparar todos os danos que haviam causado” (Mosias 27:35), quisemos reconciliar-nos. Ainda assim, ao enfrentarmos o 9° passo, sabíamos que não poderíamos realizar nosso desejo a menos que Deus nos abençoasse com Seu Espírito. Precisávamos de coragem, bom senso, sensibilidade, prudência e uma noção adequada do momento certo. Essas não eram qualidades que a maioria de nós possuía, na época. Demo-nos conta de que o 9° passo novamente colocaria à prova nossa disposição de humilhar-nos e de procurar a ajuda e a graça do Senhor.

Devido a nossas experiências nesse processo desafiador, oferecemos algumas sugestões. É muito importante que você não seja impulsivo ou descuidado ao tentar reconciliar-se. É igualmente importante que você não procrastine a reconciliação. Muitas pessoas em recuperação tiveram uma recaída quando permitiram que o medo as impedisse de dar o nono passo. Ore pedindo a orientação do Senhor e consulte uma pessoa de confiança pedindo ajuda para evitar essas armadilhas.

Às vezes, você pode ser tentado a evitar o encontro com uma pessoa de sua lista. Recomendamos, porém, que você resista a essa tentação, a menos, é claro, que uma restrição legal o impeça de encontrar-se com uma determinada pessoa. Um espírito de humildade e um sentimento de honestidade podem reparar relacionamentos prejudicados se você fizer um esforço razoável para encontrar-se com a pessoa. Deixe que as pessoas saibam que você as está procurando para reconciliar-se. Respeite o desejo delas, se disserem que não desejam discutir a questão. Se lhe derem a chance de desculpar-se, seja breve e específico a respeito da situação de que você se lembra. Não são necessários muitos detalhes.

O propósito não é explicar ou descrever seu lado das coisas. O propósito é admitir os erros que você cometeu, oferecer seu pedido de desculpas e restituir sempre que possível. Não discuta com as pessoas nem as critique, mesmo que sua resposta não seja favorável ou tolerante. Aborde cada pessoa com humildade, oferecendo a reconciliação, nunca uma justificativa.

Pedir perdão por certas ações pode ser particularmente difícil. Por exemplo: Você pode ter que abordar assuntos que tenham repercussões legais, como desonestidade ou um pecado sexual grave. Pode ser tentado a reagir exageradamente ou a dar desculpas e evitar a reconciliação. Você deve buscar em espírito de oração o conselho de líderes da Igreja e profissionais antes de agir nesses casos graves.

Em outros casos, pode ser que não haja meio de fazer uma reconciliação direta. A pessoa pode ter falecido, ou talvez você não consiga descobrir onde ela mora. Nesses casos, você pode fazer a reconciliação indiretamente. Pode escrever uma carta à pessoa expressando seu pesar e seu desejo de realizar uma reconciliação, mesmo que a carta não possa ser entregue. Você pode dar um presente à organização de caridade favorita daquela pessoa. Pode encontrar alguém que o faça lembrar-se daquela pessoa e fazer algo para ajudá-lo. Ou pode fazer algo para ajudar um membro da família, anonimamente.

Pode haver ocasiões em que se encontrar com a outra pessoa ou tentar realizar uma restituição seja muito doloroso ou até prejudicial para a pessoa. Se achar que esse é o caso, discuta a situação com um consultor de confiança, antes de prosseguir. Essa parte da recuperação nunca deve prejudicar ainda mais as pessoas. Além disso, pode haver ocasiões em que você tenha causado danos que estão além da capacidade humana de reparar. O Élder Neal A. Maxwell falou a respeito dessa realidade:

“Às vezes (…) a restituição não é possível em termos reais, como quando uma pessoa contribuiu para a perda da fé ou da virtude de outra. Em vez disso, um exemplo subsequente de retidão proporciona uma forma compensatória de restituição” (Conference Report, outubro de 1991, p. 41; ou Ensign, novembro de 1991, p. 31).

Desde o momento em que você decidir adotar esses princípios verdadeiros como seu novo estilo de vida, você começará a reconciliar-se.

Depois de reconciliar-se em relação à maioria de suas ações passadas, você ainda pode ter uma ou duas pessoas as quais sente que não conseguirá encarar. Não se desespere. Muitos de nós lidamos com essa mesma realidade. Recomendamos que você apresente esses sentimentos ao Senhor em sincera oração. Se ainda tiver muito medo ou raiva em relação a uma determinada pessoa, provavelmente será melhor adiar seu encontro com ela. Para vencer sentimentos negativos, você pode orar pedindo caridade e para ver a pessoa como o Senhor a vê. Você pode procurar motivos positivos pelos quais a restituição e a reconciliação vão ajudar. Se fizer essas coisas e for paciente, o Senhor pode e vai — a Seu próprio modo e em Seu próprio tempo — dar-lhe a capacidade e algumas oportunidades milagrosas de reconciliar-se com todas as pessoas de sua lista.

Depois de concluir o 9° passo da melhor forma possível, você finalmente fez tudo que podia para colocar-se em harmonia com os mandamentos do Senhor. Você começou a experimentar uma nova vida de esperança — não em você mesmo, mas no amor de Deus. Você mergulhou nas profundezas da humildade e encontrou o Senhor esperando de braços abertos. Você fez tudo que podia para curar relacionamentos e reconciliar-se com as pessoas. Você, ao menos parcialmente, entrou no descanso Dele; permanecer ali se tornou seu maior desejo. Você está aprendendo a reconhecer e seguir melhor a revelação pessoal, que o leva a viver em harmonia com os ensinamentos dos profetas antigos e modernos de Deus.

Mesmo em seus momentos mais difíceis, você sente um novo tipo de paz. Aprendeu a receber a bênção que Paulo descreveu, quando disse: “A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (Filipenses 4:7).

 


Ações a Serem Efetuadas

Ame as pessoas; abstenha-se de julgar os outros; esteja disposto a aceitar um chamado na Igreja e pagar o dízimo e ofertas

No passado, se você tivesse sido religiosamente ativo, pode ser que tivesse sido motivado pelo temor do julgamento de Deus ou pelo que as pessoas pensavam. Talvez você tenha agido pelo senso do dever. Hoje você reconhece que esse serviço é um modo de achegar-se a Cristo. É um meio de expressar amor a Deus. Expressa uma necessidade contínua de Seu poder e a gratidão por Sua ajuda divina. Pondere se sua atividade na Igreja ainda é motivada pelo temor ou pelo senso do dever, ou se é um resultado natural de sua renascida fé em Cristo.

Encontre maneiras de servir onde quer que esteja. Torne-se digno e disponível para servir em um chamado na Igreja ou de outras maneiras. Ao servir seus irmãos e irmãs e ensinar-lhes por palavra e exemplo, você compartilhará com eles Sua realidade viva em sua vida (ver Mateus 25:40; João 13:34–35; João 15:15; Mosias 2:17).

 

Estar disposto a fazer tudo o que for necessário para reconciliar-se

Ao dar o 9° passo, é preciso que evite ficar desanimado se as pessoas não receberem muito bem as suas desculpas ou se não acreditarem que você mudou de verdade. Reconciliar-se pode exigir tempo e paciência. Dê às pessoas tempo de perceberem que desta vez é diferente. Dessa vez você não está fazendo promessas vazias; está vivendo de modo a receber uma completa remissão de sua dependência e fraqueza de caráter. Por fim, a abstinência e a mudança de comportamento falarão por si mesmas.

 


Estudo e Compreensão

Estas escrituras e declarações de líderes da Igreja podem ajudá-lo ao dar o 9° passo. Use estas escrituras e perguntas para meditar, estudar e escrever. Seja honesto e específico ao escrever.

 

Influenciar as pessoas para o bem

“O Espírito do Senhor me diz: ‘Ordena a teus filhos que pratiquem o bem, a fim de não conduzirem o coração de muitos à destruição; por conseguinte eu te ordeno, meu filho, no temor de Deus, que te abstenhas de tuas iniquidades;

Que te voltes para o Senhor com toda a tua mente, poder e força; que não desvies o coração de ninguém mais para a iniquidade, mas, antes, volta para eles e reconhece as tuas faltas e o mal que praticaste’” (Alma 39:12–13).

  • Algumas das piores coisas que fizemos para outras pessoas foi influenciá-las a desenvolverem elas mesmas uma dependência. Escreva sobre as pessoas que você influenciou dessa forma, em sua vida.

  • De que modo você pode encontrar coragem para enfrentar essas pessoas, de acordo com os ensinamentos de Alma nesses versículos?

 

Persuasão ou compulsão

“Todo aquele que quiser vir poderá vir e beber livremente das águas da vida; e aquele que não quiser vir não será obrigado a vir, mas no último dia ser-lhe-á restituído de acordo com suas ações” (Alma 42:27).

  • Com tantos fortes motivos para dar o 9° passo, é preciso que você não se deixe enganar pela justificativa ou mentira de que não tem escolha O Programa de Recuperação de Dependências é um programa de persuasão, e não de compulsão. Escreva se você se sente persuadido ou compelido a dar o 9° passo. Que motivos para ser persuadido estão alistados nesse versículo?

 

Preparem-se para encontrar-se com Deus.

“Eu quisera que já não endurecêsseis vosso coração, pois eis que agora é o tempo e o dia de vossa salvação; e, portanto, se vos arrependerdes e não endurecerdes o coração, imediatamente terá efeito para vós o grande plano de redenção.

Pois eis que esta vida é o tempo para os homens prepararem-se para encontrar Deus; sim, eis que o dia desta vida é o dia para os homens e as mulheres executarem os seus labores” (Alma 34:31–32).

  • O que mais você realizou quando abrandou seu coração e se reconciliou?

  • De que modo a disposição de se reconciliar aumenta quando você se dá conta de que também está se preparando para encontrar-se com Deus?

 

Atividade na Igreja

“[Os filhos de Mosias] viajaram por toda a terra (. . .) procurando zelosamente reparar todos os danos que haviam causado à igreja, confessando todos os seus pecados e proclamando todas as coisas que haviam visto; e explicando as profecias e as escrituras a todos os que desejassem ouvi-los” (Mosias 27:35).

  • Devido às dependências, muitas pessoas param de ir à Igreja. Algumas usam os defeitos de outros para justificar sua falta de envolvimento. Escreva sobre sua própria experiência em relação à atividade na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

  • De que modo se aproximar do Salvador por meio da recuperação o ajudou a sentir-se mais unido à Igreja Dele?

  • De que modo a atividade na Igreja o ajuda a reconciliar-se e a recuperar-se mais plenamente?

 

Restituição voluntária

“Você precisa restituir o máximo possível tudo que foi roubado, prejudicado ou estragado. A restituição voluntária é uma prova concreta para o Senhor de que você está comprometido a fazer tudo o que puder para arrepender-se” (Richard G. Scott, Conference Report, abril de 1995, p. 102; ou Ensign, maio de 1995, p. 76).

  • Escreva sobre como o 9° passo é uma prova não apenas para o Senhor mas também para si mesmo e as outras pessoas que você está comprometido a ter uma vida humilde e honesta.

 

Os intentos de seu coração

“Aquele que se arrepender e cumprir os mandamentos do Senhor será perdoado” (D&C 1:32).

  • Ao reconciliar-se, você pode encontrar pessoas que não lhe perdoarão. Talvez ainda tenham o coração endurecido a seu respeito, ou talvez não confiem em suas intenções. De que modo ajuda saber que o Senhor conhece o verdadeiro intento de seu coração e que aceitará sua oferta de arrepender-se e restituir, mesmo que as pessoas não o façam?

 

O que o Salvador pode fazer por você

“Os homens não podem perdoar seus próprios pecados; não podem purificar-se a si mesmos das consequências de seus pecados. Os homens podem parar de pecar e fazer o certo no futuro, e nesse aspecto seus atos são aceitáveis perante o Senhor e dignos de consideração. Mas quem reparará os erros que cometeram contra si mesmos e contra outros, que lhes parecem impossíveis de serem reparados por eles mesmos? Pela Expiação de Jesus Cristo, os pecados do penitente serão limpos; ainda que sejam vermelhos como escarlate se tornarão brancos como a neve. Essa é a promessa que lhes foi feita” (Joseph F. Smith, Gospel Doctrine, 5° edição, 1939, pp. 98–99).

  • Ao fazerem reconciliações, não se desanimem com pensamentos tais como: “Isso é impossível! Não há meio de eu conseguir reparar adequadamente os males que infligi àquela pessoa!” Embora isso possa ser verdade, leve em consideração o poder que Jesus Cristo tem de reparar as coisas que você não pode reparar. Escreva sobre a necessidade de confiar em que Jesus Cristo fará o que você não pode fazer.

  • De que maneiras você pode mostrar ao Senhor que confia Nele? Como você pode aumentar essa confiança?